Blue Bloods: Devil’s Breath (3×21)

Blue Bloods é quase sempre previsível. E isso é uma prova de que nem tudo que é previsível é ruim, não é mesmo? Mais um episódio no modelo, mais uma vez a família Reagan enchendo nosso coração.

blus bloods devil's breath 3x21

Eu já sabia que a loirinha estava mentindo, por exemplo, bem antes de Danny descobrir a verdade fazendo algo que ele realmente faz muito bem: jogo de cena apostando na culpa que a pessoa está sentindo, ou pelo menos no fato de pessoa morrer de medo de ir para a cadeia. E agora nem desgosto tanto da parceira dele, viu? Sim, sinto saudades da Jack, mas já que tenho que me conformar, que pelo menos seja uma que não me irrite.

Momento “eu me identifiquei”: quando ele olha para a cara da loirinha incrédulo dela ter chamado a noiva morta do moço de “cadela”. Sério gente, o que acontece com esses delinquentes que eles ainda acham justificativas para seus atos culpando as vítimas, heim?

As tramas familiares também funcionaram muito bem: primeiro Frank precisou lembrar Erin de que ela também já foi uma adolescente e de que ela também já precisou do apoio de sua mãe apesar de tudo, depois ele de novo fez o certo, mesmo que sua resolução tenha feito o prefeito infeliz e alguns infelizes mais infelizes – sabe a quela história da internet “haters gonna hate”? Pois bem, é nessa linha que a coisa funciona.

É na linha do cidadão comum virando herói e o policial vilão porque é mais fácil apontar erros do que reconhecer a humanidade do outro que por vezes nos assusta.

Não, não teve nada de diferente, o formato foi o de sempre, mas foi daqueles episódios que me fazem desligar a televisão e ir dormir feliz.

P.S. Acho que os Reagan aprendem logo que o sobrenome famoso pesa mais contra que a favor em muitas coisas.

P.S. do P.S. Droga Zumbi consegue me assustar mais que Bafo do Diabo.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Simone o episódio não lembrou outro de outra série não ?
    a droga zumbi foi usada também em Castle mas graças que tivemos causas e efeitos bem diferentes

    já me afeiçoei com a nova parceira do Danny, ela está muito melhor aqui do que em BoP, alias ela saiu bem a tempo da canoa furar

    é o que falei com amigas no domingo, adorei e me senti muito bem depois de ver este episódio

    sabe …. eu tenho visto muitas séries e me pego olhando os coadjuvantes e tentando me lembrar de onde já vi a pessoa, pois bem fiquei assim com a loirinha striper, depois de um tempão que me lembrei que é a Gail de Rookie Blue

    Responder

    1. O bom de Blue Bloods é justamente isso: seriado que aquece o coração.

      Eu não assisto Rookie Blue, só vi o piloto. Mas acho que a moça já participou de alguma outra série também.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *