Mulheres e sapatos

sapato de gatinho e bolsa amarela

Dia destes publiquei uma foto em meu Instagram e acabei por levar a loucura algumas amigas. A foto é essa aí de cima e ela foi capaz de levar a loucura até mesmo aquelas que não são loucas por gatos, tamanha a fofura.

Algumas perguntaram a origem da preciosidade e eu tive que dar a triste notícia (para elas, vejam bem) de que ele foi criado por uma amiga querida para sua loja. Uma edição sem muitos pares e a loja mesmo nem existe mais.

A relação entre mulheres e sapatos deve ser bem antiga – tudo bem que a gente não vê sapatos nas imagens gravadas em pedra ou nas pirâmides do Egito, mas eles são detalhados ao extremo em obras a partir da idade média – e acho que de forma sempre bastante apaixonada.

Eu prezo muito o pensar duas vezes antes de executar a compra, mas entendo a loucura que alguns modelos causam, até porque valorizo demais o acessório: além desse de gatinho, tenho outra sapatilha de corações e tenho três com saltos pequenos pelos quais a paixão é tão grande que, quando o preto ficou acabado, fui e comprei outro igual – como se ter três sapatos iguais, em cores diferentes, não fosse prova o bastante da minha paixão pelo modelo.

As cores, diga-se de passagem, vieram por influência de uma amiga gaúcha que nunca teve medo de abusar delas nas roupas e acessórios e eu garanto: depois que você se arrisca, não consegue mais parar.

E acaba desfilando por aí de sapato de gatinho, bolsa amarela e lenço vermelho no pescoço, para dizer o mínimo.

Agora, o que não dá para negar é como o pessoal arrisca nos sapatos em São Paulo: além da ditadura da moda que troca os modelos favoritos a cada troca de estação, e o pessoal troca mesmo, por aqui é mais fácil encontrar quem não consegue deixar de colocar sua marca pessoal usando do acessório.

Entram em cena, então, os achados das pequenas lojas, os sapatos customizados, os tênis coloridos e os resgates nos bazares e brechós da cidade.

Particularmente são esses que mais me atraem e apaixonam.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *