E o Nokia Lumia 620?

nokia lumia 620

Tempo de despedida: o Nokia Lumia 620 que me acompanhou nos últimos vinte dias volta para casa e eu tive que decidir qual aparelho eu gostaria de chamar de meu.

Nestes vinte dias eu usei o celular o máximo possível, pois só assim eu poderia avaliar de forma adequada o aparelho e tomar uma decisão sem arrependimento futuro.

Como eu disse em meu primeiro post sobre o aparelho, o Lumia 620 não faz feio, pelo contrário, apresenta uma relação custo benefício das melhores – no mercado você encontrará o aparelho na faixa de R$ 500 a R$ 700 sem descontos por conta de adesão a planos de fidelidade das operadoras.

Um detalhe que me escapou no primeiro texto refere-se ao fato de que o próprio Windows Phone faz a ligação de você usuário com as principais redes sociais, sem ser preciso a instalação de aplicativos.

O sistema operacional padrão permite a inserção de seus dados de login e, com isso, através do ícone você da tela inicial lhe apresenta as principais atualizações ocorridas em cada uma dela. O ícone também é atualizado tempestivamente passando a apresentar o números de atualizações que guarda – que podem ser referentes a citações no Facebook, no Twitter ou no G+, por exemplo, e também permite a atualização rápida em mais de uma rede ao mesmo tempo.

Com isso você economiza na memória do aparelho, mas tem suas limitações quando você quer pesquisar citações mais antigas ou acessar as atualizações de um grupo de que faz parte no Facebook.

Nestes casos você tem acesso a aplicativos tão bons quanto os existentes para iOs ou Android e que rodam redondinho – não enfrentei nenhum tratamento nesses 20 dias.

Algo que me deixou encantada no sistema: a atualização da agenda com os compromissos da minha conta Google e minha conta do Facebook, controle de uso da bateria que permite que você selecione economia quando estiver sem possibilidade de carregar o aparelho logo, até a próxima carga ou apenas quando ela estiver baixa, por exemplo, a facilidade para selecionar músicas como toques, o sistema de sincronização com meu computador e o corretor ortográfico.

Sério, vocês não fazem idéia de como o corretor ortográfico do Windows Phone é bom! Ele separa palavras escritas sem espaço por erro, sugere opções muito mais adequadas a nossa realidade de uso da língua, guarda as opções que você mais usa, mesmo sendo apelidos de suas melhores amigas no Whatsapp (coisas como Deh ou Crix).

O Instance, por sua vez, é de deixar um usuário pesado do Instagram louco da vida: lento no momento do Upload, mesmo em WiFi, e sendo necessário um segundo passo para compartilhar com outras redes sociais. Além disso ele não permite a localização das fotos.

Em teoria o Instagram chegaria a plataforma Windows em 26 de junho, mas passamos sem novidades sobre o assunto e ninguém aposta em uma nova data.

Mas o aplicativo que mais me decepcionou foi o do WordPress: além de feio padece da falta de recursos encontrados nas versões para os outros sistemas operacionais. Eu não uso o aplicativo no celular recorrentemente, público a maior parte dos meus textos no iPad, mas o uso para verificar e responder comentários e em momentos de emergência.

Ainda na primeira semana de uso do aparelho a emergência aconteceu e precisei publicar um texto em meu outro blog usando exclusivamente o aplicativo. Além de ter publicado o post antes do devido, minha intenção era salvá-lo como rascunho, mas esta opção não estava disponível, não consegui editar palavras para o uso de itálico, por exemplo, ou alterar o tamanho da imagem inserida.

Fiquei tão passada que acessei o painel de controle do blog pelo navegador – e o Internet Explorer no celular é uma grata surpresa – e terminei o serviço por lá, apesar das limitações de campos e outros probleminhas naturais em uma tela tão pequena.

Apesar de eu sempre repetir que meus blogs são amadores, eu tenho um compromisso grande com sua atualização e a experiência contou vários pontos contra.

Como eu havia comentado com vocês a câmera do 620 não atendia as minha necessidades – eu uso o aparelho para cobertura de eventos, como minha filha aprendendo a usar patins, risos, ou outros a que vou por conta do blog. De posse do 620 eu estive na MegaArtesanal, por exemplo, e tive que levar comigo minha câmera compacta.

Por conta disso e tendo apenas o WordPress e Instagram contando contra – e acreditando que o problema com o segundo termine em breve – fui então em busca dos aparelhos 720 e 920 no mercado.

Minha opção recaiu, finalmente, sobre o 720, já que eu não queria gastar tanto com meu novo aparelho, ainda mais depois de comprovar que o sistema operacional não havia sido comprometido em uma versão mais simples como a do 620.

O 720 está disponível por valores próximos de R$ 1.500, já o 920 tem valores próximos do iPhone 5, na casa dos R$ 2.000, um pouco mais um pouco menos – sempre valores que não consideram descontos em função da escolha de planos de fidelidade.

Depois de procurar em algumas lojas pelo 720 vermelho sem sucesso – lembram que eu elogiei o aparelho colorido? – questionei a Nokia sobre sua disponibilidade e recebi a triste notícia de que, no Brasil, os aparelhos 720 e 920 só foram disponibilizados em branco e preto – mesma chatice de todos os outros.

Mas a decisão final de me manter na plataforma iOs só viria por conta do valor – sim, o mesmo valor que havia me levado a considerar outras opções – ao descobrir que apesar de indisponíveis nas operadoras, os modelos 4 e 4S continuam sendo comercializados pelo site da Apple no Brasil, bem como em varejistas como FastShop e Ponto Frio por preços mais convidativos, aproximadamente R$ 960 para o modelo 4 e R$ 1.500 para o 4S. Optei então pelo 4S no FastShop.

Ainda assim reafirmo a indicação do modelo 620 para quem não quer gastar muito e ainda ter um bom aparelho, tanto é que esse é o aparelho que estamos adquirindo para minha mãe.

P.S. Sim, é provável que se o 720 estivesse disponível em vermelho, ele teria sido escolhido. A decisão da Nokia, no entanto, foi baseada em pesquisa de mercado, o que significa que a maioria não concorda comigo.

P.S. do P.S. Nesta semana a Nokia lançou um aparelho com 41Mp de definição nas fotos e lentes Carl Zeiss. Nem sei o que dizer sobre isso além de: Uau.

P.S. do P.S. do P.S. Há uma semana sinto saudades diariamente do corretor ortográfico.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Também estou estranhando a “pegada” do aparelho, mas confortável no 620, e o consumo da bateria.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. Faz um pouco mais de um mês que mudei do IOS para o Android puro, Nexus 4. Sua tela de 4,7″ é linda e seu preço não é exorbitante. Também comprei na Fast já que é a única que fã descontos para pagamentos a vista. Só fiquei chateado porque na semana seguinte a Google abaixou o preço.

    Estava entre o 920 ou o Nexua, hoje levaria o W8 pois IOS e Android são muito semelhantes. As lentes Zeiss da Nokia fazem a diferença

    Abs

    Responder

    1. Eu tenho um pé atrás com o Android, mas é provável que fizesse como você se fosse optar por algum desta plataforma: sem intermediários.

      O W8 me deixou encantada: limpo, fácil, leve de usar, sabe? Achei uma pena não encontrar o 720 num preço mais camarada na Fast Shop. E não achá-lo em vermelho, risos.

      Antes do 3G, meu primeiro iPhone, eu tive um N95. Que lentes! Que fotos! A Cora Ronai publicou um texto ótimo sobre os aparelhos da Nokia essa semana no blog dela, já viu? Compartilhei lá no meu Facebook.

      Responder

  2. Adorava a série N, tive um 73 e um 95 8GB que tenho até hoje. Minhas 20 mil fotos de celulares preferidas foram tiradas com eles.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *