Nossos filhos vem com o manual. De nossas mães

tiê e amora

A frase aí do título foi dita, não com esse ponto no meio, pela cantora Tiê no encontro Mães+Amigas de que participei no dia 25 de maio à convite da Coca-Cola. E, devo dizer, nada poderia ser mais certeiro.

A gente sempre repete que filhos não vem com manual de instrução, o que seria impossível já que são modelos únicos, mas se tem algo que eles fazem por nós é nos fazer entender nossas mães, o porque dos cuidados, os erros tentando acertos, o amor incondicional, as noites insones, os sonhos maiores que o mundo. A gente olha para nossas mães de forma diferente logo no primeiro dia com aquele bebê pequenino em casa – dizia o pediatra da Carol que sorte que eles parecem de borracha.

Ser mãe não me define, mas é impossível que eu me imagine sem sê-lo, como se os demais interesses da minha vida gravitassem ao redor deste fato. Amo ser ciclista, mas tenho trocado as pedaladas pelos passos porque assim posso ter minha pequena ao meu lado o tempo todo. Amo meus trabalhos manuais, mas sempre tem o olhar dela ali, ou ainda sempre existe o fato dos meus trabalhos me deixarem mais feliz porque me permitem ter mais tempo com ela.

Só que esta frase não foi a única coisa que levarei comigo do encontro: Tiê cantando e se derretendo pela filha Amora assim que ela apareceu pela porta foi de explodir o coração, mas também foi ótimo desvirtualizar antigas amigas da vida virtual e conhecer outras tantas. Falar dos filhos, das experiências, das batalhas e das conquistas. Enquanto uma perguntava como tinha sido parar de amamentar, a do lado falava sobre os livros, mais adiante outra falava sobre ciúmes entre irmãos e outra sobre o tempo para si mesma.

E ali, naquele encontro, foi impossível não lembrar da minha infância no quintal compartilhado por cinco casas, tios indo para o trabalho, tias olhando uma os filhos das outras, trocando dicas e experiências. Em tempos de famílias pequenas em que vivemos cada vez mais isolados pelas distâncias, pelo trânsito, a grande aldeia virtual se torna um ótimo lugar para perguntar sobre aquele truque para uma noite de sono mais sossegada ou como sobreviver ao “terrible two”.

Ainda melhor se você encontrar um espaço para conversar sem medo e para onde fugir de vez em quando. O grupo Mães+Amigas é um lugar assim, com 50 mães dispostas a aprender novos truques e ensinar seus velhos segredos e eu agradeço a Coca-Cola pela oportunidade de estar por lá e poder contar aqui tudo que aprender.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Ah, Simone, é a mais pura verdade! A gente entende nossas mães quando nos tornamos mães. Participar do encontro foi muito especial mesmo, muito enriquecedor. O grupo tem sido um lugar especial, acho que vamos nos ajudar muito por lá. Beijo.

    Responder

  2. Apesar de não ser mãe, sou mãe de gatos, e tendo esse cuidado com meus peludos eu consigo entender minha mãe. Engraçado, não ?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *