Grimm: The Hour of Death (2×10)

Um novo Grimm na cidade? Eu sabia que Ryan estava “aparecido” demais na série, mas jamais imaginaria que esse admirador de Nick e Hank fosse completamente maluco.

É, nem foi tão difícil adivinhar: se um novo personagem já chega chegando, chamando atenção, e a gente sabe que ele não vai virar protagonista, bem, pode ter certeza que vem confusão da boa pela frente. Além disso, ela envolverá algum wesen bem estranho – alguém depois me conta que bicho feio era aquele, afff!

E isso num episódio quase perfeito, em que a gente tomou um sustos, teve cena de tortura, teve Juliette e Renard se beijando e Nick defendendo inocentes. Só faltou um pouco mais de Monroe para eu ficar completamente satisfeita – nosso blutbad preferido anda só fazendo ponta, né? – já que até Wu e Bud voltaram a passar mais tempo na nossa telinha.

Bom, apesar de eu já achar que tinha algum mistério por trás de tanta admiração de Ryan pelos rapazes eu confesso ter ficado surpresa pelo fato dele ser o vilão da vez, até porque disfarçaram bem com suas graças na delegacia. Mesmo quando o suspeito sai da delegacia e ele está por perto não tem nenhum olhar, nada que indicasse o que estaria por vir (assisti duas vezes pra conferir).

Agora eu fico imaginando o moço repetindo na divisão psiquiátrica em que for parar: “Eu sou um Grimm!” eu sou um Grimm!”

No final um wesen bastante problemático que não aceitava quem era. Numa boa, com aquela cara, nem eu aceitaria.

Ah, enquanto ele dava todo esse trabalho pro Nick, Renard não resistiu e arrastou todas as asas pro lado de Juliette.  Ele não disfarçou em nada seu interesse e acabou que a moça lembrou do beijo no hospital. A não ser que ele resolva mentir e falar que os dois tinham algo antes – o que significaria que ela esqueceu os dois homens de sua vida, já pensaram? -, eu não consigo imaginar nenhuma desculpa aceitável pro fato.

P.S. Os abraços de Bud em Hank e Nick? Priceless!

P.S. do P.S. Nick cada vez incorpora mais o personagem, não é não? A cena em que ele abre o armário de armas fazendo pose de herói diz tudo.

P.S. do P.S. do P.S. Descobri: meu problema com a Juliette é o narizinho dela. Que aparece mais quando ela está de cabelo preso. Estilo “tem algo cheirando mal aqui”.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Não é só o narizinho. A boca, também. Nada combina. Tomara que venha outro interesse romântico e bem legal para o Nick.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *