A vida era mais simples quando fazíamos escolhas…

Quando minha filha era bem pequena ela chegou àquela fase em que chorava para dormir. O pediatra me explicou que isso era porque dormir era o mesmo que não brincar e que essa era a primeira vez em que ela era obrigada a escolher algo em detrimento de outro.

Em seguida, com ela um pouco mais velha, aprendi que eu deveria limitar as opções para facilitar o processo de escolha dela, que poderia se tornar angustiante. Aprendemos então, como pais, que devíamos escolher duas opções de roupa, por exemplo, e deixar sobre sua cama ao invés de fazer com que encarasse o guarda-roupa inteiro para ter de escolher apenas duas peças. Ela precisava dessa ajuda por não ser madura o bastante para pesar prós e contras e fazer suas escolhas sozinha.

Sem sombra de dúvida o processo de escolha não é nada fácil, afinal como saber se aquilo que estamos deixando de lado não é melhor, mais gostoso, mais bonito, fará mais sucesso e todos estarão falando?

Recentemente eu aproveitei o Netflix e retomei Desperate Housewives.

Eu lembro de ter abandonado a série em algum momento entre a terceira e a quarta temporada e lembro que não foi pela série não ser boa ou eu não gostar dela, mas pelo simples fato de que seu horário começou a bater com o de outra série de que eu gostava mais e não existir nenhum horário de reprise compatível com meu dia a dia.

Nos tempos atuais eu provavelmente iria: baixar os episódios para assistir em algum outro horário – quem sabe em meu tablet ou celular – ou, ainda, gravar em um super aparelho de TV a cabo que permite assistir qualquer coisa na hora em que eu quiser.

Se, de um lado, essa modernidade toda faz com que a gente se sinta meio dono do mundo, com síndrome de “eu posso fazer o que eu quiser e não preciso escolher nada”, do outro lado me fez ficar pensando no tanto de coisa que eu ando assistindo só porque eu posso e não porque eu realmente gosto ou porque é realmente bom… E deve explicar porque tem tanta série mais ou menos que dura anos.

Eu, por exemplo, fui até o fim de House, mesmo já não gostando mais da série depois da quarta temporada, para no final ter realmente aproveitado um ou dois episódios em cada uma das últimas temporadas.

Com tempo sendo artigo de luxo e com tanta coisa pra se aproveitar não consegui escapar dessa reflexão agora, justamente quando as novas temporadas e novas séries estão chegando por aqui e com tanta gente lá fora questionando a qualidade do que está passando na televisão.

Espero que, refletindo sobre isso agora, eu me obrigue ao tal difícil processo de fazer escolhas e a deixe de lado o que realmente não anda fazendo meu coração bater mais forte…

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

16 Comentários


  1. Simone tem coisas na vida que marcam com a gente de uma maneira mesmo que esteja em uma fase ruim ficamos até o fim.
    Eu sou flamenguista e o meu time está em uma má fase como esteve em diversas vezes, mas nunca vou deixar de ama-lo de torce porque faz parte da minha vida é o time do meu coração!
    Eu nunca assistir House eu só sei que os fãs da serie estavam reclamando muito da serie principalmente nas ultimas temporadas!
    Mas muitos ficaram até o fim como você!
    Quando algo marca você e tem uma importância independente da raiva que passa o amor faz você ir até o fim! Quando eu gosto de alguma coisa que realmente tem uma importância para mim vou até o fim (menos Perdida Anatomy porque essa tá difícil de engolir!) o amor supera tudo até a decadência da vida!

    Responder

  2. Seria muito pior eu me arrepender de não ter visto do que dedicado mais um pouco!
    Eu sou assim se você ama muito algo você supera tudo e segue enfrente!
    Um exemplo eu acho que dificilmente perdoaria uma traição de qualquer que seja o tipo de traição, mas se tem gente que perdoa é para perdoar de verdade e superar isso e seguir em frente!

    Responder

    1. Camila, aqui estamos falando de séries de TV, só isso. Acho que precisamos avaliar se vale a pena ficar assistindo 50 séries, deixando de dormir, de ver outras coisas, só para ver tudo que todo mundo vê. É essa a reflexão.

      Responder

  3. Simone Miletic eu sei que você está falando sobre series de tv só dei exemplo do futebol e de outras coisas. Eu concordo que tem uma fase onde devemos sim pensar em continuar ou não! Tanto é deixei de assistir Glee e a Grey’s Anatomy!

    Responder

  4. Simone Miletic estou louca para você escrever logo sobre Perdida Anatomy! Porque eu sei que vai dá polêmica!
    Perdida Anatomy é a serie que está mais tendo confusão no mundo das series!

    Responder

  5. Simone você fazia as legendas de Bones?
    Moço você me surpreende se não me engano você também é química?
    Você trabalha em uma empresa ou no setor publico.
    Químicos que eu conheço são professores universitários!

    Responder

    1. Ajudei por um tempo com as legendas sim,mas é uma trabalheira enorme.

      Me formei em química têxtil no colégio, mas em administração e contabilidade na faculdade, não cheguei a trabalhar com química muito tempo.

      Responder

  6. Simone
    o cardápio que nos é apresentado é muito extenso, além de séries americanas ainda existem as canadenses / britânicas / espanholas / norueguesas e agora brasileiras … e além de séries existem as minisséries
    como me considero uma pessoa viciada em séries preciso ter cuidado redobrado nas escolhas que faço pois além de ter a minhas séries favoritas voltando tem também as séries novas chegando me enchendo os olhos para entrar na minha lista

    como todo viciado sabe é preciso ter regras e sigo as minhas ao pé da letra:
    1 – só acompanho séries que passam na tv aqui no Brasil, mesmo que fique muito grande o número vou eliminando conforme incompatibilidade de horários se tornar
    2 – não baixo mais nada para não me atolar mais ainda … só baixo aquele episódio que perdi por uma infelicidade de ter perdido até a reprise ou como já aconteceu (e muito) no dia da reprise faltou luz ou sinal da net

    séries / minisséries e filmes para mim é Entretenimento … preciso, e muito, ter cuidado nestas escolhas pois em média são de 2 a 3 horas diárias que eu me dedico a elas então não posso ficar no prejuízo, quando esses momentos começam a criar problemas para mim como falta de tempo e falta de sono

    fall season chegando tanto lá fora como aqui no Brasil … então galera muita atenção no que vcs querem e no que vcs podem seguir

    Responder

  7. Eu já assisto tudo que eu quiser, mas sem a neura de ter que ficar em dia, ou seja, se demorar dois anos para assistir meia dúzia de episódios, tá valendo. não posso é ficar sem dormir por conta disso.

    Responder

  8. Simone Miletic sabe a minha raiva com Perdida Anatomy é que a oitava estava tão perfeita … E ai vem o final e estraga uma temporada que tinha tudo para ser uma das melhores da serie!
    Mas a Shonda ela consegue piorar!

    Responder

  9. Tenho feito mais escolhas, tb. Acompanho muitas séries, mas tenho conseguido abandonar as que não me deixam realmente interessada. Assim, parei com Boardwalk Empire, não continuei com the Newsroom, the Good Wife vejo esporadicamente, não acompanho série de comédia, e por aí vai… 🙂

    Responder

  10. Escrevi sobre isso outro dia! Acabei me limitando a algo em torno de 10 séries… cheguei a tentar acompanhar 40 e quase pirei. Só recentemente aprendi a abandonar séries…

    Escolher faz bem, limitar espaços na nossa vida para cada coisa (inclusive coisas práticas, como a gaveta de maquiagem ou o guarda-roupas) também faz. Tudo fica mais interessante com uma boa curadoria. 🙂

    Responder

  11. Concordo totalmente com você Simone. Realmente não dá para acompanharmos todas as séries que gostamos. Mesmo por que as melhores parecem ser marcadas para o mesmo dia e horário. Eu faço minha grade de programação com as minhas favoritas, dou chance para as novas e vou eliminando as que não me agradam ou são mais fracas. Depois que uma acaba procuro ver aquela que deixei de lado. Tive que fazer isso com The Good Wife, pois não consegui acompanhar desde a primeira temporada. Aí fica difícil se identificar com a estória.
    Hoje minhas séries favoritas que não perco de jeito nenhum são Homeland, Once upon a time, The Walking Dead, Grimm e Criminal Minds. Vou tentar acompanhar Perception que parece promissora.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *