O que tem no meu iPad: Where’s My Water?

Eu sonho com um iPad, bem, desde que o Steve Jobs anunciou o primeiro deles. Fiquei com aquela cara de “uóóóóóóóóó” quando ele foi apresentado e, a partir de então, os planos para tê-lo foram iniciados. É claro que primeiro eu pensava: eu não preciso de um tablet. E isso até que segurou a ansiedade por um tempo.

Depois eu ganhei um Galaxy Tab e deu para sossegar mais um tanto. Até seguraria mais não fossem os constantes travamentos do bichinho que me deixavam louca e o meu velho costume de sincronizar tudo com o iTunes velho de guerra (costume antigo, adquirido no iPod e migrado para o iPhone).

Aí não resisti mais: no final do ano aproveitei a entrada de uma grana não esperada e me dei um iPad de presente – isso depois de uma semana repetindo pro marido “mais é tão caro” e mais meia hora divagando com o vendedor da loja, do qual eu não esperava as respostas, falando que eu nunca tinha gasto tanto assim com algo que não fosse realmente necessário.

Agora ele é meu! Branco com um adesivo vermelho de bolas brancas, capa vermelha “inteligente” e tudo o que tenho direito.

E eu finalmente achei real utilidade para as muitas páginas guardadas no meu GReader com dicas de aplicativos para ele – guardadas, sim, desde o dia em que ele foi lançado. E agora eu vou começar uma série de posts falando dos meus aplicativos preferidos, sejam eles úteis e inúteis. Espero que gostem.

O primeiro de que vou falar é o queridinho das férias para mim e para a Carol: Meet The Swampy – Where’s My Water? joguinho da Disney no qual o vício vem fácil fácil, tanto que já partimos da versão gratuita, que não tem todas as fases, para a paga, que já terminamos (diz ela envergonhada) – lembrando que para adquiri-lo é preciso ter conta na iTunes EUA, já que a loja brasileira não vende jogos, dicas para isso na MacMagazine.

Swampy é um crocodilo que mora nos esgotos e adora tomar banho. O problema é que seus encanamentos estão todos quebrados e é nossa missão ajudar a água a chegar ao chuveiro dele antes que ele fique bravo – o que acontece bem fácil, vide o tanto que ele bate no chuveiro quando a coisa começa a demorar – ou que algo bem contaminado chegue primeiro.

É preciso desviar de bombas, água envenenada e gosma, de preferência salvando os patinhos de borracha existentes pelo caminho e encontrando os tesouros escondidos que permitem o desbloqueio de novas fases.

Em casa ele habita, além do meu iPad, o iPod da Carol e estamos as duas ansiosas pela próxima atualização, que promete novas fases.

Abaixo um vídeo da Disney falando sobre o aplicativo – infelizmente não achei com legendas ou em português, mas ele tem sido exibido nos comerciais do Disney Channel por aqui – que serve bem para mostrar o quanto o bicho é divertido:

Ah, também disponível para Android.

Gostou do Texto?

Cadastre seu email e receba novos
textos por email:

Deixe seu Comentário