Livro: Enquanto Minha Querida Dorme

Eu disse para vocês que fiquei apaixonada pelo estilo de Mary Higgins Clark, não disse? Pois devorei mais um livro de bolso da autora, dessa vez uma história que tem como cenário o mundo da moda. E gostei mais ainda do que o anterior.

Enquanto Minha Querida Dorme é mais suspense e menos ação, além disso o romance aqui também tem pouco destaque – você já sabe qual o casal da trama, não existe suspense quanto a isso e não existem cenas românticas – mas eu achei a história muito bem amarrada, além da minha existente paixão pelo cenário escolhido.

Sinopse

Uma história sobre morte e intriga na alta costura.Tudo começa quando Neeve Kearny, filha do ex-comissário de polícia Myles e dona de uma butique chique na Madison Avenue, tenta descobrir quem é o assassino da famosa escritora Ethel Lambston, uma das melhores clientes de Neeve. Ethel aparece com a garganta cortada pouco tempo antes de lançar um livro de fofocas sobre o mundo da moda. Na lista dos suspeitos estão o sobrinho de Ethel, o ex-marido e um conhecido estilista. A vida de Neeve vira então um tormento – o assassino passa a querer eliminá-la também.

De novo Clark coloca como heroína uma moça de personalidade marcante – aqui é o bom olho de Neeve para a moda, a memória para detalhes que passam despercebidos aos outros – e apresenta um leque grande de possíveis assassinos, dificultando as apostas e me surpreendendo no final. Acreditam que eu realmente não desconfiei do moço até o final?

Ah, o pai de Neeve, Myles, é um caso a parte. Foi impossível não compará-lo com o personagem de Tom Selleck em Blue Bloods, também um comissário de polícia cheio de charme e daqueles homens que atraem todos os olhares quando entra numa sala só por conta de sua força, a beleza não atrapalha, é claro.

O livro é bem mais curto que o anterior, menos de 300 páginas, mas a falta de ação faz com que a história flua mais lentamente. Ainda assim, não achei que prejudicasse o ritmo da leitura e continuo identificando o estilo da autora como daqueles que me fazem não querer largar.

Detalhe: Perguntando sobre novos lançamentos da autora na coleção da BestBolso para um vendedor da Livraria Cultura fiquei sabendo que a Record (grupo que inclui a editora) não possui mais os direitos da autora, que também ainda não foram adquiridos por outra editora. Sendo assim, acabei me submetendo a comprar mais dois livros dela no formato comum e o último título da BestBolso, O Caso das Rosas Fatais, por garantia, já que gostei tanto do estilo dela. No entanto, apenas para não sair confundindo personagens acabei optando por iniciar outro, um drama da Segunda Guerra, para variar um pouquinho.

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


    1. Re, já li muito a Norah, acabei parando porque comecei a achar que ela estava se repetindo muito – sempre trilogias envolvendo três irmãos ou amigos, cada um com uma característica forte, etc e tal – mas sempre gostei do estilo dela. A diferença dela pra Clark é que o foco da Norah é no romance, e nos da Clark ele até aparece, mas só como fundo mesmo. O foco é no suspense, na investigação.

      Responder

  1. Adoro a Nora, mas realmente ficou cansativo, todos os livros são muito parecidos. Pra variar um pouco, intercalei com a Série Mortal (em que ela assina como J.D. Robb), mas logo cansou também. Apesar disso, ainda gosto do estilo. Vou procurar um da Clark pra conhecer! 🙂

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *