Fringe: Marionette (03×09)

Além de um excelente caso esse episódio ficará marcado como aquele em que o Peter realmente se tocou do que fez. Ele não é um mal rapaz, mas eu acho que ele se apaixonou mesmo é pela BOlivia, e meu amigo Paulo Fiaes já tinha me cantado essa bola.

Falando do caso: um homem apaixonado que resolve trazer de volta a vida sua amada, mesmo que para isso ele precise matar ao longo do caminho as pessoas que agora tem seus órgãos transplantados. É terrível, mas não deixa de ser poético, de uma maneira assustadora. Seu pedido de desculpas ao homem de quem ele tira o coração e o fato dele deixar vivo aquele que apenas tinha as córneas demonstram que ele sabia estar fazendo algo errado, mas seu desespero em não ter mais a pessoa que amava era maior que essa noção.

Eu particularmente gostei demais da história, mas passei o episódio incomodada de que me lembrava algum filme antigo, bem antigo, principalmente a cena em que ele realmente cria uma marionete com a garota. Alguém ajuda?

E, mesmo em meio a tanta loucura, ele pode (e a vontade de colocar acento minha gente?) enxergar nos olhos dela que não era a mesma pessoa, coisa que Peter não conseguiu. Ou, na linha colocada no primeiro parágrafo: Peter sabia que ali não era a Olivia e ainda sim continuou, pior, não parou para pensar o que estaria acontecendo com ela do outro lado.

Do lado da Olivia: que terrível né? Quando ela estava do outro lado algo nela indicava que aquela casa não era dela, que aqueles amigos gostavam mais dela do que ela deles, ela não se sentia confortável. Ela falou para o Peter que se o namorado da Bolivia estivesse lá talvez o mesmo tivesse acontecido, mas eu acho o contrário, que mais rápido ela perceberia que as coisas estavam erradas. E quando ela pega aquela camiseta do Peter na máquina eu fiquei com pena dela. Muita pena. Nem consigo imaginar o quanto ela se sentiu invadida.

E não posso imaginar o Peter conseguindo consertar isso.

P.S.1. Achei legal Broyles colocando sua curiosidade sobre sua vida do outro lado e mais ainda de Olivia explicando que ela devia a ele conseguir uma solução que mantivesse bem os dois mundos.

P.S.2. Em vários momentos eu quis que Olivia tivesse alguém para abraçá-la.

P.S.3. Achei muito legal Olivia criando coragem para pergunta a Astrid como Peter e BOlivia eram juntos e mais ainda a resposta da amiga. Acho que Astrid, assim como Walter, gostariam mesmo que os dois se entendessem.

P.S.4. Bom, todo mundo viu o Observador dessa vez, não é?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. Eu achei um máximo o episódio. O caso do cara querendo trazer a morta de volta foi com certeza uma das coisas mais bizarras da série, quando ele liga as “máquinas” e ela começa a dançar daquele jeito. #credo

    Com certeza Peter ficou beem balançado com toda a história entre Olívia/BOlivia, mas sei láa. Veja o episódio seguinte pra você veer… também foi fantástico por sinal!

    @lucas_santtos

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *