12 comentários em “Eu e minha bicicleta”

  1. Lu Monte
    Lu Monte 19/10/2010 em 4:15 pm

    Adorei o depoimento! Moro em uma cidade em que fugir do carro exige sacrifícios enormes (pra mim, inviáveis), mas sempre disse que, se morasse em São Paulo, pagaria a mais no aluguel só pra poder usar o metrô pra trabalhar. 🙂

    Tenho que admitir que compartilho do medo do seu marido: andar de bicicleta num trânsito como o de São Paulo parece-me arriscado. Vou acompanhar a aventura, torcendo pra tudo correr bem!

    1. Simone Miletic
      Simone Miletic 19/10/2010 em 4:24 pm

      Eu passei um tempo trabalhando em Brasília e lembro de precisar de carro para tudo, até pela divisão por “tipo” de prédio que tem por aí né? Por outro lado, aí seria ideal para investimentos em metrôs de superfície, pena que não existe interesse político. Vou contando aqui o que acontecer e também torcer para tudo dar certo, risos.

  2. Tati Siqueira
    Tati Siqueira 21/10/2010 em 6:59 pm

    Nossa Si, vc morava em guarulhos, em que Bairro? Eu moro em guarulhos no picanço, vc conhece? Realmente a distancia não ajuda nenhum pouco.

    1. Simone Miletic
      Simone Miletic 21/10/2010 em 7:00 pm

      Hum eu morava num bairro chamado Picanço, será que vc conhece? risos enormes

      Meu irmão mora na Lucia rabelo, na Vila galvão, mas agora comprou um sobrado em um condomínio atrás do carrefour…

  3. Tati Siqueira
    Tati Siqueira 22/10/2010 em 7:43 am

    Caraca que mundo pequeno…..kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  4. daguvasco
    daguvasco 13/01/2011 em 11:06 am

    Que inveja saudavel eu estou de ti.
    Sou casado, e minha mulher ama ficar com o carro, enquanto eu so o uso nos finais de semana, faça chuva ou faça sol eu to sempre de magrela, já ela nao abandona a ideia do carro.
    Mas ja ta melhorando, as vezes, saimos pra pedalar, eu ela e nosso guri.
    O legal que ele tbm já ta “mordido” pelo mosquitinho da bike, quer ficar andando o tempo todo, e não curte muito carro.
    Torço pra que suas metas sejam alcançadas.
    Aquele

    1. Simone Miletic
      Simone Miletic 13/01/2011 em 12:00 pm

      E não é um sentimento sensacional? David Byrne fala no livro dele que é uma coisa de êxtase e eu não posso deixar de concordar. Quanto mais você usa, mais quer usar.

      Já uso a bike nas pequenas distâncias agora e acredito que até março já vou estar encarando o dia a dia até o metro sem problemas. Vou escrevendo no blog as histórias e fico feliz de encontrar mais gente envolvido com a bike.

      Quanto aos nossos filhos: quero acreditar que, quando crescerem, seja mais fácil para eles escolherem a bike.

  5. Pedro M
    Pedro M 13/01/2011 em 12:17 pm

    Simone, uma vez abraçada a ideia da bike, não se larga mais. Há mais ou menos um ano coloquei essa ideia na cabeça e, mesmo ainda usando o carro às vezes por dias seguidos, não deixo de usar a bicicleta.

    Moro em Brasília e moro a cerca de 8km do trabalho. Você lembrou bem, aqui as distâncias são bizarras de grandes e dificilmente tenho oportunidade de resolver várias coisas cotidianas num dia só quando estou de bike. A outra “desvantagem” de BSB é que os congestionamentos em até 10km do centro (ainda) não são grandes o suficiente para convencer as pessoas a deixar o carro em casa, como pode acontecer em SP.

    Mas aqui é uma cidade razoavelmente plana, as ruas têm mais espaço e só chove no começo/final de ano. No meu caminho de casa para o trabalho, levo cerca de 20min de carro (sem trânsito) e 25min de bike. Compensa? Considerando economia de combustível, bem para o ambiente e para a saúde, acredito que sim.

    Você tem agora alguns dilemas que devo ter em breve. Como usar bicicleta no dia-a-dia com esposa e filhos? Uma coisa é certa: bicicleta não vai deixar de ser opção.

    Um abraço e boa sorte!

    1. Simone Miletic
      Simone Miletic 13/01/2011 em 12:26 pm

      Pedro: uma verdade indiscutível, depois que você começa a usar a bike não tem mais volta.

      Quanto as distâncias ou subidas e descidas, cada um tem uma dificuldade, mas a gente vai se ajeitando e resolvendo. Foi assim como e as subidas e agora e rotina da filha para colocar a bicicleta no meu dia a dia. tenho certeza de que você também vai conseguir.

Deixe seu Comentário