Ghost Whisperer: Dead Eye (05×18)

Dead Eye foi um típico episódio de Ghost Whisperer: fórmula toda certinha, fantasma assustador que no final se revela um bom rapaz, alguns sustos, uma verdade bem escondida e um final feliz. E foi um bom episódio exatamente por isso.

Li gente lá fora reclamando que este é um episódio em que a história por trás das sombras pouco avança, o que é verdade, e que por isso é ruim. Acho que não podemos confundir as coisas: tudo bem que continuamos na mesma, já que a aparição de Brendford no final não acrescenta nada a não ser a tal ameaça à vida de Melinda, mas quem disse que precisava?

Eu não sei, fico grilada quando o povo reclama que a história não avança porque me lembra novela, em que você precisa disso se não não tem histórias, mas deve ser porque eu sou do tempo em que os seriados que tinham essa coisa de continuidade eram minoria.

Eu gostei do episódio, gostei da reviravolta no final, até porque ela propiciou o final feliz, e gostei porque Eli voltou a interagir com os fantasmas – eu acho que ele andava meio de lado esses últimos tempos em que tivemos maior participação do Ned nas histórias.

Ah, achei demais o fato de Melinda ter medo de palhaços! Sério, a mulher fala com fantasmas, mas tem medo de palhaços. Isso é bem coisa de americano!

Momento fofoca: primeiro Jennifer Lowe Hewitt lançou um livro em que admite o fato de ser uma “serial dater” (será que existe essa expressão?), uma verdadeira viciada em relacionamentos amorosos. Logo em seguida chegou a mídia a notícia de que Jennifer largou Jamie Kennedy, seu colega de tela por quem se apaixonou no set e que tinha sido o pivo do fim de relação de Jennifer e seu noivo, isso quando já estavam com a data de casamento marcada. Agora aparece a notícia de que o término do relacionamento da atriz com Kennedy não foi outro senão um novo amor: o ator John Asher, que fez ponta neste episódio. É, ela não mentiu para divulgar seu livro, não é?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *