Sonhos e desafios

2009-08 (ago)

Sam escreveu em seu site sobre o filme O Golfinho, a história de um sonhador e lançou um desafio: conte uma história de sonhos, motivação e liberdade que você viveu em sua infância ou que seu filho viveu e que o inspirou em ser melhor. Entre as pessoas que contarem sua história, seja em seus blogs, seja comentando no post da Sam, ela sorteará ingressos para o filme e o livro que deu origem a animação.

A primeira vez que li o post pensei ser fácil fazer o texto, mas depois complicou. Passei horas pensando no que escrever e em como escrever. Da minha infância, confesso, lembro quase nada e não acho que eu tenha sido dessas crianças que iluminam o dia e são boas desde que nascem.

Mas só posso pensar em ser melhor desde que a Carol nasceu. Dizem que você só entende sua mãe depois que é mãe e isso não podia ser mais verdadeiro. É somente quando você se vê ali, com aquela pessoa tão pequena e tão sua que você entende o verdadeiro significado de ser melhor.

Ontem comentei com alguém que quando nasce um filho, nasce a culpa. Desde o nascimento uma mãe só consegue pensar no que faz ou deixa de fazer, no tempo que quer fazer triplicar, na presença que quer aumentar, no exemplo que quer passar. Quer agir certo, quer ser amiga, quer fazer as escolhas certas.

Se tem algo que quero ensinar a ela é seguir seu coração em suas escolhas, ser o porto seguro para o qual ela volta depois de viver suas aventuras.

Mas, antes de tudo isso chegar, quando as aventuras serão mais reais, eu quero mesmo é curtir com ela a sacola que vira chapéu de pirata, a caixa que vira navio e o gato que vira prisioneiro. Aprender com ela as lições na lousa de giz que fica na sacada. Imitar as personagens de desenho que enfrento vilões e ficam com o príncipe no final. Viver esses sonhos tão importantes para nossa felicidade.

Nesta sexta-feira a Carol viaja com a turma da escola: acampamento de formatura da primeira série. A mala está arrumada há dias e todo dia ela quer ver as fotos do lugar. Conhece pessoas na rua e conta que vai para lá. Fico imaginando o quanto de aventuras estão guardadas em suas expectativas e em seu coração.

Seu rosto iluminado pela expectativa e o sorriso franco são os meus sonhos que se realizam todos os dias.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *