Há 05 anos atrás eu assistia a final de Friends na televisão…

capa_link 06072009

… Mas muita coisa mudou desde então.

Justamente porque mudou o caderno Link do jornal O Estado de São Paulo fez uma reportagem comemorando a data e mostrando as diferenças entre geração Friends e geração Lost.

Como eu aqui integrei uma e também faço parte da outra acabei na capa do caderno e ganhei até um espacinho bem pequeno na capa do jornal.

O Alê, do Poltrona.TV, também aparece na reportagem de @gustavomiller.

Você lê aqui, aqui e aqui a reportagem na íntegra.

*Depois eu melhoro a imagem, as fotos foram tirados lá em casa. É que no site do Estadão ela está minúscula e vou precisar digitalizar o jornal original.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

7 Comentários


  1. muito legal a reportagem e nem tinha percebido que já tinha passado 15 anos da final de friends… me senti mais velha ainda!!!

    Responder

  2. Sempre leio O Estado, mas como estava em férias, acabei não vendo está matéria.
    Muito legal, mas vc falar da geração Lost , sei que é uma forma que o jornal encontrou de se referir a nova geração acostumada com em ver tv através da internet, mas é engraçado, pois como eu, vc não desistiu de Lost faz tempo né?

    Responder

    1. O Gustavo, o jornalista, riu disso, porque ele não havia ligado o meu nome a autoria do texto em que eu explico porque não suporto LOST.

      Responder

  3. Desculpem… a série inteira está a repetir em Portugal no canal Sony. É uma porcaria do princípio ao fim! Como fez sucesso, não sei! É tão má! Mesmo muito má! Até considero uma fraude que aquelas pessoas tenham enriquecido à custa daquilo…

    Nota: quando digo enriquecido refiro-me a muuuuitos milhões e muita boa vida! Aparentemente, após a série terminar podiam ficar sem trabalhar o resto da vida que só os rendimentos de exibição continuariam a encher-lhes os bolsos! E por uma coisa sem conteúdo, substância ou interesse como aquela! QUe porcaria!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *