Reciclagem: cidadania começa em casa

Reciclagem

Atualização: Tem promoção no LadyBug. Sorteio de dois Molecos para quem escrever artigos sobre reciclagem, natureza e coisa e tal. Os Molecos são os novos Moleskines, só que ecológicos. Acesse aqui e participe você também, além de divulgar a causa você concorre a um presente muito legal.

Já estou para escrever isso há algum tempo: você recicla na sua casa?

Pode parecer bobeira ou algo trabalhoso, mas reciclar é uma das coisas mais fáceis que podemos fazer para diminuir o impacto que causamos para a natureza.

Quando mudei para meu prédio, há sete anos atrás, ele era novo e como meu marido foi o segundo síndico eleito conseguimos o que parecia impossível: implantar a reciclagem para todos. E nem demos tempo para eventuais reclamações facilitando o processo como um todo.

Primeiro optamos por facilitar a separação do lixo: ao invés de exigirmos que cada morador tivesse várias lixeiras para separar cada material apenas pedimos que o lixo seja separada em dois, o reciclável e o não reciclável. Para isso, em cada andar foram colocadas duas lixeiras, uma para cada tipo de lixo.

Semanalmente, os funcionários de limpeza e portaria fazem a separação por tipo de material e foi destinada uma área para a guarda deste até o momento da retirada.

Para a retirada contatamos empresas de aparas da região, que pagam um valor conforme o peso e os materiais recolhidos. O valor obtido da venda desses materiais é dividido entre os próprios funcionários, que acabam por ter um incentivo para efetuar a separação – e sempre devemos lembrar que o que é pouco para nós pode ser muito para outros.

No último ano mais uma conquista: a instalação de bombonas para a retirada do óleo de cozinha usado. Mais uma vez o importante foi encontrar uma forma de facilitar o processo para conseguirmos a adesão das pessoas. As bombonas foram adquiridas da ONG Trevo, que fica responsável pela retirada da bombona já cheia.

O investimento é baixo, tanto as lixeiras para reciclagem como as bombonas para óleo não chegam a custar R$ 25,00 individualmente e, no caso das bombonas, muitas vezes apenas uma já é suficiente, é só orientar os moradores a colocarem o óleo usado em garrafas pet ao lado do lixo.

E, o melhor, você faz um poquinho aqui, outro ali, mas a sua preocupação contagia os outros e, no final, o efeito é muito maior. No meu caso, eu ainda tenho o orgulho de ver minha filha de apenas 05 anos repetindo o que aprendeu em casa aonde quer que ela vá.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

6 Comentários


  1. É muito bem ver que a cada dias mais pessoas estão se concientizando. Em casa, separamos o lixo, e através dos meus filhos, na casa da minha mãe também já acontece, pois meus pequenos ficavam perguntado para a avó: “onde colocamos o o lixo reciclavel vó?” Ela de tanto ouvir deles as consequencias de nao reciclar, começou a separar também.

    Responder

  2. Tenho dez anos minha escola pesquisou muito sobre reciclagm e coleta seletiva,para um projeto da feira de ciencias da escola,cada classe ficou responsavel por um tema e o meu foi esse.Amei pesquisei sobre o tema em varios sites.
    E achei muito legal o tema CIDADANIA COMEÇA EM CASA,é trabalho de formiguinhas mas se cada fizer sua parte podemos contruir um mundo melhor!!! Eu estou fazendo minha parte,e pretendo levar essa mensagem pra mais gente…Sou lobinha e ja estou estudando mas sobre o tema para apresentar na minha sede e tirar especialidade relacionada ao meio ambiente,e é claro fazer c q outras pessoas comecem a reciclar ou melhor q faça a coleta seletiva pra q os materiais tenham um destino certo!!!!!! UM abraço Julia

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *