Law&Order SVU: Trials (10×01)

Eu não sou a maior fã de SVU, pelo contrário, dos três seriados da franquia este é, de longe, o que menos gosto. Mas, vez ou outra, um episódio me deixa de queixo caído e deve ser por isso que eu assisto (além do fato de ser seriado policial). Normalmente  o que me irrita é alguma obviedade de roteiro ou algum final politicamente correto demais, quando os roteiristas têm medo de escolher uma solução e deixam em aberto.

Trials, o primeiro episódio da décima temporada, me irritou pela obviedade. Alguém, após a primeira aparição de Luke Perry, achava que ele era o culpado? Tá, eles até conseguiram me surpreender um pouquinho, eu não imaginava que a esposa também era uma ex-vítima, mas, no final das contas, tudo aconteceu de maneira muito “certinha”.

As únicas coisas que eu realmente gostei: Julie Bowen e Sara Gilbert em participações especiais. No caso de Julie não foi nada de extraordinário, mas ela bem que conseguiu ganhar minha empatia em seu desespero com o menino. Já Sara Gilbert esteve ótima e em um papel bem diferente do que usualmente ela faz.

Outra obviedade: eu tinha certeza de que quem tinha pêgo o cartão do Stabler era sua filha e o namorado. EU não me conformo dele não ter desconfiado. Já faz mais de uma temporada que eles estão ensaiando colocar Kathleen como a rebelde sem causa. Sempre ela apronta alguma e tenho o pressentimento que, qualquer episódio desses, ela vai aprontar uma bem grande mesmo.

O episódio também marcou a estréia de Michaela McManus como a promotora Kim Greylek. E eu já não fui com a cara dela. E olhar que eu não morria de amores pela Casey Novak. Ou eu morro de amor demais pelos promotores dos outros dois seriados.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. Eu assisto mais pelos guest stars, que sempre são de primeira classe. Mas achei o elenco todo meio over nesse. E o caso foi bem óbvio mesmo.

    Pelo que deu pra ver no promo do Unversal, no da semana que vem (com a Ellen Burstyn!) suas previsões a respeito da filha do Stabler se concretizam.

    Responder

  2. Nada mais fraco do que tuas críticas. Crítica pela crítica, apenas para reclamar.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *